segunda-feira, novembro 25, 2013

MEUS POEMAS COMETIDOS

SCRIPT DO SER

Difícil ou quase impossível é ser
sem ter de sorrir scripts globais
ou remendar pensares espontâneos.

O preço de ser não cabe no poema
de nossas existências comovidas
Vale mais o padrão das vidas de etiqueta
e dos comportamentos brancos
que não irritam a alergia de ninguém.

É difícil rir abertamente
quando se há limites pro humor
e abertura pra impunidade
Eu me entedio tão fácil e logo me aborreço
tentando entender essas piadas pós-modernas.

O artificial está na moda
e a moda está vociferando
para que vistamos os seus uniformes.

Eu pego no sono com a tv ligada
enquanto o sistema esquematiza os sonhos que eu vou ter
me fazendo decorar o seu ditado
como a antiga professora da escolinha
acabando de compor as partituras
das minhas desesperanças
castrando as últimas possibilidades
que eu ainda tenho de ser eu mesmo.



Nenhum comentário: