segunda-feira, janeiro 09, 2012

MEUS POEMAS COMETIDOS



ENTRE O ARCO-ÍRIS E O LUAR

E eu a encontraria sempre ali
Entre o arco-íris e o luar de dezembro
E confessaria os mesmos compartidos risos
E beberia os mesmos sonhos repartidos

Não teria pressa pra me despedir
Mas converteria na mesma ansiedade
O mesmo e sôfrego olhar que se perdeu
Na sinestesia concreta dos seus olhos
E resguardaria as palavras que não disse
Para quando as estrelas levitassem
Em consonância com meus pensamentos

Nenhum comentário: