quarta-feira, julho 01, 2009

CAMINHOS QUE SÓ CAMINHONEIROS FAZEM
Rafael Rubens de Medeiros
Todo mundo tem um amigo caminhoneiro. E se há ainda alguém que não tenha é bom saber o quão é interessante e construtivo ser amigo de um. Caminhoneiro não é só uma profissão, é um romper indelével de quilômetros, saudades e sonhos. Como me disse uma vez um velho caminhoneiro, a estrada nunca é apenas um caminho a ser percorrido; é a sua amiga e confidente, quiçá sua melhor companheira de viagem. A cabine de um caminhão torna-se, com o tempo, mais do que a residência ambulante do seu condutor, ela vira uma parte de si mesmo. Pode reparar que um caminhoneiro não consegue passar muito tempo longe do seu caminhão. Eu lembro do caso de Seu Joel que, depois de 37 anos de rodagem e dono do seu próprio caminhão não se acostumava mais em passar nem que fosse um dia distante de sua máquina. É um lance de paixão mesmo. Ser caminhoneiro é bem mais do que dirigir um veículo longo. Uma vez caminhoneiro, torna-se cúmplice do volante e amante do retrovisor esquerdo. É um silogismo fácil: o Brasil escolheu as rodovias; as rodovias escolheram os caminhoneiros. O mais interessante é que, por menos escolaridade que possa ter, todo caminhoneiro é detentor de uma riquíssima sabedoria. E de fato, como não haveria de ser, se eles são formados na maior de todas as faculdades, a vida e os seus caminhos nem sempre bem sinalizados? Uma vez um desses sábios da estrada que transportava uma carga de botijões de gás num trucado vermelho de 10 rodas me contava sobre suas inúmeras viagens. O Brasil é muito maior do que aquilo que a gente vê no mapa – ele me dizia com o semblante sereno e o olhar atento no pára-brisas. Falou-me de uma ocasião em que dirigira por 16 horas seguidas q quando finalmente parou para dormir num desses postos de beira de estrada não tinha feito nem metade do caminho ainda. Pois é. Do Rio Grande do Sul ao Maranhão vão mais léguas do que nossas saudades podem suportar. O Brasil não é apenas grande. Ele também é vasto. É você sair do Nordeste com uma carga de macaxeira e descarregar aipim em Santa Catarina. Os caminhos envolvem nuances. O caminhoneiro não conhece apenas o Brasil. Conhece também o brasileiro. Cada jeito de ser, de se expressar de cada canto do país vai ficando gravado na memória que nunca se cansa desses peritos da estrada. Uma carona dada ali para encurtar o caminho, uma parada ali para rebocar um companheiro que ficou quebrado na beira da estrada. Vida de caminhoneiro não é fácil. Haja coragem e determinação para viajar por estradas tortuosas fazendo-se disso o buscar do pão de cada dia. Haja solidariedade para parar às quatro da manhã e tirar do prego aquele estranho que pode muito bem ser um daqueles famosos ladrões de carga, mas que também pode ser alguém como você, humilde e de boa índole, e se encontra parado no acostamento com o olhar desesperado e o coração palpitante à espera de uma assistência milagrosa. Haja sensibilidade e bom humor para poetizar os pára-choques e maravilhar os olhos de quem tenta ultrapassar na curva: “A saudade é companheira de quem não tem companhia.”, "Mulheres existem para serem amadas, não para serem entendidas" “Antes eu sonhava, agora eu nem durmo”, “Guarde seu silêncio, para que não fique escravo de suas palavras”. E por aí vai... O caminhoneiro é, antes de tudo, um forte, permitam-me parafrasear o rodado clichê euclidiano. Sua força reside na simplicidade honesta do trabalho, na ânsia de chegar em casa e matar a saudade da família num abraço apertado, no peso da responsabilidade muito maior do que a carga de várias toneladas atrás da cabine. Que esses mestres da estrada continuem por muito tempo cumprindo sua função, que é muito mais do que conduzir um caminhão na rodovia. Que Deus ilumine cada vez mais os caminhos daqueles tem a missão de movimentar de verdade o comércio do nosso país.
(Esse texto é dedicado a Toinho de Totó, o cabra mais homem que desbrava os recantos desse Brasil velho ao volante de um caminhão Volkswagen Constelation. Toinho Pequeno, como é conhecido, além de exemplo formidável de ser humano, é o melhor amigo caminhoneiro que eu posso dizer que tenho...)

5 comentários:

Fernanda Medeiros disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Fernanda Medeiros disse...

Como a primeira leitora, tenho a honra de ser a primeira a comentar... e também a única filha do homenageado, que me enche de orgulho todos os dias... seja por seus atos, suas lembranças ou histórias que muitas vzs nem eu conheço, afinal, são muitas.

E o mais interessante, é que mesmo sem saber do fato, foi ele o que mais me tocou no texto... como que inconscientemente eu percebesse as coisas boas que meu herói espalhou pelo mundo afora...

Obrigada, Rafael. Bela e justa homenagem aos verdadeiros condutores do país.

Não preciso dizer que me emocionei não é? rsrsrs

Como eu lhe disse, nem que eu fizesse os melhores cursos, eu me tornaria metade do que "Toinho de Totó" é.

;) Amei!

Sérgio Brito disse...

A homenagem é grandioza e de tal forma compatível com a grandiozidade do homenagiado. Deve ter muita gente agora apropriando-se de tuas palavras poeta.

GRANDE DUDUZÃO disse...

Retratou exatamente o caminhoneiro e sua realidade. Expressando os sentimentos q passam, isegurança, cansaço, mas tambem sabedoria superior a todos nós. tendo em vista que, não conheçem apenas o Brasil, como vc falou, mas o melhor dele que é o brasileiro!!
E em relação ao homenagiado, é tudo o que foi dito por Rafael, se não mais. Meu pai que o diga. Lembro como se fosse hj o dia em que chegou de uma viajem feita ao norte desse Brasil velho na cabine do caminhão de Toinho. contando meio mundo de coisas fantasticas nem se parecem que se passam por aqui!

Isaú Medeiros disse...

Já tive o prazer de fazer uma viagem com o homenageado saindo de santa luzia ate o Pará...eitaaaa viagem boa .
Realizei o sonho de guri..e ele compriu a promessa de muits anos atras :) " Branco, um dia te levo em alguma viagem de caminhao por esse Brazilsao"

Padrinho Toinho, um orgulho pra sua familia e para quem o conheçe. Acho que está pra nascer alguem que o conhece e nao o admira. É uma pessoa com o coraçao maior que as estradas que ele cortou ;)