sábado, fevereiro 09, 2008

(MEUS POEMAS COMETIDOS)

RECADO DA VIDA

Enquanto a brisa não cambalear
e os relógios tique-taquezarem
eu quero acreditar no sol nascente

Já faz dez sonhos que nós acordamos
Nos deparamos com os olhos de outono
de uma nublada realidade...

Mas eu creio na possibilidade
Quero confiar no sempre do amanhã
e nos olhares transeuntes lá da rua
que sempre assaltam o assustado dos meus olhos.

Eu inda vou voar perto da lua
e namorar as planícies do sertão
Quero beijar o que restar da sorte
e me apaixonar as insistentes vezes
que o meu coração der seus palpites

Eu quero crer na magia dos milagres
com a mesma avidez dos passarinhos
que envivecem a minha janela.

Nenhum comentário: