quinta-feira, novembro 09, 2006


O MAIOR DOS PRESENTES DIVINOS

Rafael Rubens

Talvez não tenhas nem percebido, mas hoje nós fomos brindados com mais um presente divino: hoje o dia simplesmente amanheceu e anoiteceu em sua plenitude. E eu creio que isso baste,na menor das hipóteses,como uma evidência inconteste de que a vida sempre continua. Se há uma coisa que,embora pareça extremamente óbvia, podemos conceber como certa é que devemos estar sempre atentos aos pequenos detalhes e aos mais simples acontecimentos que a vida nos proporciona dia a dia. São esses(e depois o saberemos) os mais significativos da nossa existência.
É essa, pois, a essência que realmente nos vivifica e nos faz assim,como nós somos. Quando nos achamos deprimidos ou mal-humorados e precisamos desesperadamente de um motivo para continuarmos vivendo a vida, por si mesma,encarrega-se de nos mostrar esse sentido. Como é bom modificar um dia ruim recebendo um sorriso sincero no final da tarde ou maravilhando os olhos diante de um pôr-do-sol como nunca havíamos visto antes. Como é revigorante afastarmos nossos pensamentos negativos observando pequenos pássaros (podem ser grandes também) cantarem livres e despercebidos ao nosso redor. Como é maravilhoso recebermos um 'bom dia' de uma pessoa que nem conhecemos e que provavelmente nunca mais tornaremos a vê-la. E os amigos então? Nada melhor do que dividirmos um pouco do nosso dia com essas criaturas extraordinárias. Recebermos um abraço ou um carinho qualquer,chorarmos junto com eles e junto com eles rirmos de nossas próprias gafes...
Pois tudo isso perpassa-se diariamente no nosso cotidiano, mas às vezes nos isolamos tanto que preferimos não ver essas coisas. E essas 'coisas' nada mais são do que a própria vida tocando sua música; eu insisto com Erico Verissimo em que o simples fato de estarmos vivos é uma prova concreta da existência de Deus. Freqüentemente nos perguntamos, quando por algum motivo desacreditados dela,onde estaria a felicidade. Pois a resposta está exatamente em nossos corações. A felicidade não é inalcançável, muito pelo contrário, mas está sempre a uma pequena distância,o suficiente para manter-se um pouco à frente das nossas pretensões mais humanas. Por isso nossa corrida constante e infinda atrás da mesma durante todos os instantes da nossa existência na terra. Tarefa árdua. Para tanto, devemos nos deixar guiar em todas as circunstâncias por nossos sonhos e por nossas esperanças. Descobriremos então que, ao contrário do que diz o filme, a pessoa não é para o que nasce, na verdade, a gente é para o que sonha...
 Por quantas vezes somos tentados a abdicar de responsabilidades que nos pareçam grandes por demais, a minimizar problemas do dia-a dia ou até mesmo a fugir da realidade quando esta nos parece muito dura ou injusta. Enganamos a nós mesmos dizendo que esses atos de fraqueza são soluções que naquele momento nos pareceram sensatas e eficientes. Somos tão tolos! Não compreendemos que mesmo as nossas fraquezas também nos fortalecem quando aceitas como tal e que as adversidades apenas nos tornam melhores; servem para nos encorajar e nos preparar para vivermos profundamente a essência e a completude dos momentos a que temos o direito primário de viver.
Ensina-nos o grande poeta alemão Rainer Maria Rilke: "os homens,com o auxilio das convenções, resolveram tudo facilmente e pelo lado mais fácil da facilidade; mas é claro que devemos agarrar-nos ao difícil. O fato de uma coisa ser difícil deve ser um motivo a mais para que seja feita".
Não vivas cada momento como se fosse o teu último. Essa filosofia está cruelmente invertida. Devemos antes viver cada momento como o primeiro deles e experimentarmos feito crianças a maravilhosa e constante sensação de descoberta em tudo que nos rodeia. E até o corriqueiro ato de escovarmos os dentes todas as manhãs nos parecerá único e inédito. Prova de que estamos vivos, saudáveis e nos preparando para viver a intensidade de mais um dia. Portanto, eu diria que a felicidade está em ti primeiramente. E à nossa volta tudo o que não falta são motivos para sorrir. Devemos encontrar razões para viver no máximo de coisas que nos cerca; seja na beleza das amizades sinceras, nas sempre certas influências do amor ou na simples poesia do ar que respiramos.

Pensa nisso
De um amante da vida

Nenhum comentário: